Dia 03: alguns meios para legitimação do artista

A experiência de jovens autores em concursos e editais que movimentam o sistema literário. Dicas, causos, dificuldades, felicidades, reflexões e críticas feitas por Guilherme Castro, vencedor do 21º Concurso de Contos Luiz Vilela, e Patrícia Silveira, escritora e dramaturga, com mediação de Natália Borges Polesso, vencedora do prêmio Açorianos 2013 na categoria contos com Recortes para álbum de fotografia sem gente.

A Festa da Escrita Criativa

Festa da Escrita Criativa 2013.

 

A primeira edição do evento aconteceu entre os dias 02 e 06 de setembro. Organizado na ocasião por Luís Roberto Amabile, Moema Vilela e Rodrigo Rosp, a 1ª Festiva abriu espaço para discussões sobre a formação do escritor, bastidores do mundo editorial e poesia, além de bate-papo sobre concursos e editais.

Dia 01: a formação do escritor na prática - e na teoria

Entre oficinas, mestrados, leituras e saraus: escritores debatem modos de aprimorar a escrita. A mesa de abertura do evento foi formada por Reginaldo Pujol Filho, autor de Azar do Personagem e Quero Ser Reginaldo Pujol Filho, e Moema Vilela, autora de Ter Saudade Era Bom, sendo mediada por Eduardo Cabeda, cineasta, poeta e efusivo contador de histórias.

FESTIVA2018

Dia 02: liberdade do verso, necessidade do poeta

Uma reflexão sobre a técnica e a pulsão. Afinal, o que é fazer poesia hoje? Para responder a essa (difícil) pergunta, Diego Grando, autor de Desencantado Carrossel, 25 Rua do Templo e Sétima do Singular, e Daniela Damaris, poetisa de diversas publicações e indicada ao prêmio Fundação Bunge de Crítica Literária, com mediação de Natasha Centenaro, mestre em Escrita Criativa pela PUCRS.

Dia 04: a distância não existe para quem ama (a literatura)

Mudar de cidade, deixar o emprego, largar tudo: um papo com autores que cruzaram o país e meio mundo para estudar Escrita Criativa. Mediados por Vanessa Sila, autora de cinco livros, a mesa teve Luís Roberto Amabile, indicado ao prêmio Açorianos 2013 por O amor é um lugar estranho, e Patrick Holloway, poeta irlandês com várias publicações pelo mundo, contando suas experiências.

Dia 05: o que não é dito em sala de aula

Novos aspectos de mercado, de gêneros, o escritor profissional e os desafios de fazer literatura no século 21. Encerramento do evento formado por Davi Boaventura, autor de Talvez Não Tenha Criança no Céu, e Rodrigo Rosp, semifinalista do prêmio Portugal Telecom 2014 com Fingidores, com a mediação de Juliana Grünhäuser, integrante de diversas antologias e professora de Escrita Criativa.